segunda-feira, 18 de abril de 2011

As 7 (sete) grandes PERDAS em um equipamento

     A procura incessante pela redução das perdas é uma das principais características das empresas modernas. Tradicionalmente, os esforços de redução das perdas concentravam-se em perdas de materiais, mão-de-obra direta e máquinas ociosas. No Sistema Toyota de Produção, as perdas são agrupadas em 7 classes distintas, como será apresentado abaixo:

1 - Perdas por QUEBRA / FALHA: Perdas que interrompem ou deterioram as funções do equipamento; exigem a substituição de peças ou reparos, para recobrar as funções; o reparo por exemplo é maior que 5 minutos.

2 - Perdas por SET UP e AJUSTES: Perda por set up é relativa ao tempo entre o final da produção de um produto e o início da produção do próximo produto em velocidade normal, livre de defeitos, após todas as alterações e ajustes necessários terem sido feitos para o próximo produto.

3- Perda por TROCA FERRAMENTAL: Perda ocasionada por tempo gasto em troca de rebolos, brocas, cortadores, pontas, ferramentas e outros dispositivos que sofram desgaste com a redução da vida útil destes componentes. Sujestão implantar o SMED ( Troca rápida de ferramentas ).

4 - Perda por START UP: Perda de tempo até que o funcionamento, aquecimento e condições de operação se estabilizam, durante a inicialização do equipamento.

5 - Perdas por PEQUENAS PARADAS: Perda de tempo devido a pequenas paradas e inatividade do equipamento que ocorre devido a problemas temporários tais como, obstrução das linhas, rompimento de linhas de fibra, defeitos mecânicos, tanques furados, e sistemas transportadores, etc.

6 - Perdas por VELOCIDADE: Perdas por velocidade são aquelas causadas pela baixa velocidade do equipamento, ou seja, a diferença entre a velocidade de projeto e velocidade real da produção.

7 - Perdas por DEFEITO e RETRABALHO: Perdas na operação com matéria prima, mão-de-obra, insumos e outros recursos desperdiçados ao produzirem peças com defeitos que podem ser retrabalhadas ou refugadas.

     A empresa deve concentrar-se em eliminar as perdas e minimizar o trabalho adicional, maximizando o trabalho efetivo, que precisa ser efetuado com a maior eficiência possível. O retrabalho é prejuizo na produção e impacta nos custos.

 

Um comentário:

  1. Bom dia. Gostaria de saber se tem algum material sobre smed para me passar, pois, estou implementando onde trabalho.
    Obrigado Claudemir Cesar

    souza.claudemir@gmail.com

    ResponderExcluir